Manejo Integrado de Vetores e Pragas Urbanas

Controle de roedores

O controle de roedores tem por objetivo reduzir prejuízos econômicos derivados de roeduras e contaminação de alimentos, produtos ou instalações devido à presença de fezes, pelos e urina dos ratos. O controle desta praga também reduz o risco de contaminação de doenças transmitidas por estes animais, sendo que muitas delas podem levar à morte se não tratadas.

Controle de insetos

Baratas, moscas e formigas são frequentemente encontradas nos ambientes, e sua presença geralmente está vinculada à oferta de alimentos, resíduos e de instalações propícias que servem de atrativos para estas pragas. Estes insetos são vetores de doenças, e seu controle é necessário a fim de garantir a saúde das pessoas e a qualidade de produtos ou alimentos que são produzidos e consumidos.

Já as abelhas e vespas são importantes polinizadoras de flores que exigem racionalização nos processos de controle pela sua importância ambiental, mesmo sendo considerados animais peçonhentos. O seu controle visa garantir a saúde e segurança das pessoas que eventualmente tenham reações alérgicas severas às suas picadas.

Cupins de solo ou de madeira e as brocas de madeira são insetos que causam danos graves às estruturas e aos móveis de madeira. Seu controle visa à preservação destes materiais, garantindo o uso prolongado, a redução de custos com substituição de pisos, forros, vigas e móveis, além de contribuir para a preservação de espécies florestais e com a preservação do Meio Ambiente.

Controle de aracnídeos

Aranhas e escorpiões são animais peçonhentos e podem causar acidentes graves ou até mesmo fatais. O manejo destes insetos requer dentre as medidas de controle uma redução efetiva das suas fontes de alimento e alojamento, para garantir a ausência de aracnídeos nos ambientes.