Blog Fique por dentro de tudo o que acontece na Bioseta.

Sanitização de ar interior dos ambientes: o que é?

Conheça agora o que é a sanitização do ar interior dos ambientes, quais os riscos que o ar pode representar se não sanitizado adequadamente, como o processo de aplicação de ozônio é realizado e quais os benefícios que ela pode trazer para a saúde das pessoas.

Você que acompanha nosso blog, já sabe que a sanitização de ambientes é um conjunto de processos de sanitização que se complementam e promovem a redução da carga microbiológica, ou seja, da ‘quantidade’ de micro-organismos como bactérias, vírus e fungos e também de ácaros (que são aracnídeos) nos ambientes.

É importante ressaltar que a realização do conjunto de processos de sanitização de ambientes de forma concomitante potencializam a ação dos processos entre si, pois sabemos que nos protocolos de biossegurança, não é somente o que se faz, mas que há uma sequência ideal para maior efetividade da sanitização dos ambientes.

Qualidade do ar interior x equipamentos de ar-condicionado

A utilização de ambientes climatizados e o uso de equipamentos de ar-condicionado, principalmente os modelos split e de janela, tem como consequência a ausência de renovação do ar dos ambientes, o que pode tornar o ambiente insalubre, dentre outros aspectos, em função da presença de agentes causadores de doenças, tais como vírus, fungos e bactérias.

Soma-se à ausência de renovação do ar dos recintos de uso coletivo o cenário de economia globalizada, em que pessoas transitam pelo mundo inteiro em questão de dias, provendo um verdadeiro intercâmbio de micro-organismos, muitos deles com potencial para causar doenças graves.

O controle da qualidade do ar interior nos ambientes de uso coletivo (público e privado) é essencial e impacta diretamente na saúde, na segurança, no bem-estar e na qualidade de vida das pessoas, cuja obrigatoriedade está na Resolução 09/2003 da ANVISA, que estabelece Padrões Referenciais de Qualidade do Ar Interior em Ambientes Climatizados Artificialmente de Uso Público e Coletivo.

Como a sanitização do ar interior pode ajudar na prevenção de doenças em ambientes de uso coletivo?

Vimos que a qualidade do ar interior é impactada, dentre outros fatores, pela carga microbiológica dos ambientes e é nesse ponto que a sanitização se apresenta como fator de prevenção, por meio do controle de micro-organismos, mediante dois processos:

  • Sanitização dos equipamentos de ar-condicionado, com o objetivo de tornar o equipamento seguro para utilização e não um meio de contaminação;
  • Sanitização do ar interior dos ambientes, com o objetivo de ‘purificar’ o ar interior presente nos ambientes de uso coletivo.

Como é o processo de sanitização do ar interior por ozônio?

A aplicação do ozônio como desinfetante é cientificamente comprovada e utilizada como agente de descontaminação em diversos segmentos, como na área da saúde e na indústria de alimentos, por exemplo. Sua capacidade de eliminar diversos micro-organismos como bactérias, vírus e fungos se dá em função do seu alto poder oxidante.

O mecanismo de ação do ozônio contra bactérias e fungos, por exemplo, ocorre ‘de fora para dentro’. O ozônio destrói a parede celular desses micro-organismos, via reações químicas de oxidação, até penetrar ao interior do micro-organismo danificando também agentes vitais para sua vida, culminando assim em sua morte.

No caso dos vírus, a ação ocorre da mesma forma. Quando em contato, o ozônio destrói o vírus difundindo-se pelo envelope viral e/ou do revestimento proteico (capsídeo viral) em direção ao núcleo de ácido nucleico, resultando em danos ao DNA ou ao RNA viral.

Estudos científicos mostram a eliminação de vírus por meio do ozônio, a exemplo dos conhecidos vírus da Poliomielite, Poliovírus PV1, e o Rotavírus SA-11. Resultados também mostram a eficácia no combate a bactérias como Salmonella spp, Staphylococcus aureus, Escherichia coli, entre muitos outros micro-organismos.

Por ser um gás, o ozônio consegue se espalhar pelo ambiente e agir como um ‘purificador de ar’, podendo ser aplicado para sanitizar ambientes como escritórios, carros, ônibus, aeronaves, salas de espera, quartos de hotéis, clínicas, academias leitos de hospitais. residências e outros ambientes de uso coletivo.

Alguns estudos indicam que pode ocorrer até 100% de remoção para bactérias mesófilas e bolores ou leveduras em superfície de vaso sanitário, 82,5% de fungos em ar de banheiro e 92,3% de bactérias no ar de um veículo.

Para saber mais sobre os processos de sanitização de ambientes, entre em contato conosco!

ver todas as postagens

Seu negócio precisa
de um time de especialistas

Conheça nossas soluções