Blog Fique por dentro de tudo o que acontece na Bioseta.

Mudanças climáticas: calor recorde no hemisfério norte indica que algo pior está por vir!

Mudanças climáticas:

calor recorde no hemisfério norte indica que algo pior está por vir!

 

A preocupação em relação ao meio ambiente é um assunto que está sendo cada vez mais falado no mundo todo. Autoridades do mundo inteiro procuram urgentemente encontrar soluções para frear ou minimizar os impactos. Fenômenos de descontrole de temperaturas, escassez, enchentes e frios fora de época indicam que algo está errado e precisa da atenção de todos nós.

Especialistas afirmam que as mudanças climáticas ligadas ao aquecimento global aumentarão a frequência de eventos climáticos extremos como as ondas de calor.

 

Calores extremos:

Nos últimos dias, o noroeste dos EUA quebrou recordes de temperatura. O Serviço Nacional de Meteorologia do país (NWS, na sigla em inglês) classificou as ondas de calor como “históricas” e disse que elas persistiriam durante a semana “com numerosos recordes diários, mensais e até históricos que provavelmente serão estabelecidos”.

Portland e Seattle, cidades com climas famosos por suas chuvas, registraram as temperaturas mais altas de sua história. A primeira quebrou seu recorde anterior quando as temperaturas atingiram 44 °C, e a segunda fez o mesmo quando atingiu 40 °C, segundo dados oficiais.

No Canadá, a temperatura final na cidade de Lytton foi 4,6 °C mais alta do que o recorde antigo. As emissões das atividades humanas contribuíram indiscutivelmente para o aumento, elevando a temperatura média global em cerca de 1,2 °C desde o final do século 19.

O recorde anterior de temperatura mais alta do Canadá foi estabelecido em 1937, com 45 °C, quando o solo ressecado não conseguiu atenuar as temperaturas, algo que também acontece neste ano.

 

Impacto:

A máxima extrema do Canadá foi acelerada por um aumento da temperatura global de apenas 1,2 °C até agora em comparação com níveis pré-industriais.

Mas o mundo provavelmente está caminhando para um aumento de 1,5 °C de aquecimento no início da próxima década, e as temperaturas vão avançar para 2 °C ou mais, a menos que as políticas mudem radicalmente. Como será o mundo com um aumento de 2 °C, que até recentemente era considerado um nível de mudança relativamente “seguro”?

Os políticos estão trabalhando para evitar o pior dessas realidades potenciais, mas até mesmo a ex-primeira-ministra do Reino Unido, Margaret Thatcher, observou, ao final dos anos 1980, que fazer um experimento com nosso único planeta era loucura.

Em 1989, ela chamou a atenção da ONU ao falar que os gases de efeito estufa estavam “mudando o meio ambiente do nosso planeta de maneiras perigosas e prejudiciais”.

 

O que está sendo feito?

Os impactos do aquecimento global estão acontecendo agora, mas as principais nações planejam eliminar suas emissões só até o ano de 2050. A GM e outras empresas prometeram vender apenas veículos com emissões zero no escapamento até 2035. Mas o presidente não definiu uma data para eletrificar a frota de carros dos EUA.

E há uma lacuna, até mesmo, nas políticas de uma nação líder no tema como o Reino Unido, onde o governo planeja um programa de construção de estradas avaliado em 27 bilhões de libras (R$ 192 bilhões).

E, embora o uso de ferrovias tenha caído durante a pandemia, o premiê Boris Johnson está gastando mais de 100 bilhões de libras (R$ 714 bilhões) no projeto ferroviário HS2, que não será neutro em carbono até o final do século.

 

Precisamos pensar nesse futuro não muito distante!

Segundo análise de Roger Harrabin, especialista em temas ambientais, “não podemos dizer com certeza que essa onda de calor brutal foi causada por emissões de gases que agravam o efeito estufa, mas cientistas argumentam que cada onda de calor que ocorre hoje é mais intensa provavelmente devido às mudanças climáticas induzidas pela humanidade”.

Na verdade, cientistas melhoraram muito a capacidade de associar eventos extremos às mudanças climáticas, como a onda de calor que atingiu a Europa em 2019 e que, segundo pesquisadores, foi 100 vezes mais provável de ocorrer por causa das emissões de gás carbônico.

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas considera que, provavelmente, ultrapassaremos 1,5 °C acima desse nível em um curto espaço de tempo. Nas taxas atuais superaremos um aumento de 2 °C, e, possivelmente, ainda mais.

 

Um dever de todos nós!

Cuidar do meio ambiente é um dever de todos nós. Estabelecer soluções sustentáveis que não impactam no meio ambiente é de extrema importância, por isso devemos fazer a nossa parte.

A Bioseta tem compromisso com o meio ambiente, pois ele é um dos pilares do nosso negócio. Criamos soluções inteligentes e sustentáveis, respeitando a diversidade e o meio ambiente e cuidando do futuro do nosso planeta.

Não estamos à parte, nós somos parte. Essa é a nossa natureza. Conheça a Bioseta (www.bioseta.com.br) e saiba como podemos ajudar você e sua empresa. Somos especialistas em soluções para sustentabilidade nas áreas de tratamento fitossanitário, saúde ambiental, biossegurança e sanitização, garantia da qualidade do ar e da água e consultoria ambiental.

 

Referências:
https://g1.globo.com/mundo/noticia/2021/07/10/por-que-calor-recorde-no-hemisferio-norte-indica-que-algo-pior-esta-por-vir.ghtml

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-57650835

ver todas as postagens

Seu negócio precisa
de um time de especialistas

Conheça nossas soluções