Blog Fique por dentro de tudo o que acontece na Bioseta.

Tudo sobre Sanitização

A sanitização de ambientes é um conjunto de serviços que se complementam e promovem a redução da carga microbiológica, ou seja, da quantidade de micro-organismos como as bactérias, os vírus, os fungos e também os ácaros, o que promove a biossegurança dos ambientes. No texto de hoje, vamos explicar tudo sobre sanitização. Está preparado?

Ao contrário do que muita gente pensa, sanitização e limpeza não são sinônimos. A limpeza é a remoção das sujeiras visíveis. É aquela feita em casa, com desinfetantes. Já a sanitização é o processo de redução de bactérias e de micro-organismos até um nível considerado seguro pelos órgãos de saúde pública. O foco da sanitização não é apenas deixar o ambiente limpo, mas garantir a sua biossegurança.

A Bioseta realiza os seguintes tipos de sanitização:

Vantagens

O processo traz diversas vantagens como deixar o ambiente mais seguro e saudável, prevenir doenças respiratórias, reduzir os micro-organismos presentes no ambiente e proporcionar mais saúde e bem-estar para todos.

Eficácia

Por ser realizada com produtos registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a sanitização é eficaz na eliminação de micro-organismos como bactérias, fungos, vírus e ácaros.

O único ponto de atenção é quanto à validade. Muitos comercializam a sanitização com prazo de validade, o que não é correto, porque, apesar de ser muito bom para a desinfecção dos ambientes, não tem efeito residual, ou seja, não protege o ambiente de novas contaminações, no caso de alguém vir a entrar no ambiente e esteja com o vírus. Por isso, a recomendação é que os serviços sejam realizados com frequência, pois ela complementa os processos de limpeza tradicionais, promovendo um ambiente mais seguro para os usuários.

Para que a sanitização tenha um bom resultado, também é indicado que seja feito um planejamento, levando em consideração algumas variáveis e grau de risco, como:

  • Utilização dos locais: é a função dada ao local, por exemplo, academias e restaurantes têm utilização e representam riscos completamente diferentes das residências;
  • Rotatividade de pessoas: locais de uso coletivo, como bancos, restaurantes, academias e escolas, por exemplo, recebem um grande número de pessoas;
  • Tipos de superfícies: superfícies lisas e fixas, como paredes, mesas e locais de contato compõem um grupo de risco diferente de objetos porosos, como tapetes e carpetes, por exemplo.

Como fazer

 É importante ressaltar que a sanitização deve ser feita exclusivamente por profissionais qualificados e devidamente licenciados para a tarefa.

Após o processo, o cliente deve exigir o Certificado de Sanitização. O documento garante que a tarefa foi realizada de maneira segura e de acordo com a legislação ambiental. Por isso, é muito importante que a certificação seja adequada, contendo os ativos e o nome comercial dos produtos utilizados, locais onde foram realizados os processos, o nome e o número de registro do responsável técnico junto ao seu conselho (CRBIO, CRQ, CREA, etc.).

Vale lembrar que os ambientes só ficam sanitizados por completo, quando também é feita a sanitização dos aparelhos de ar-condicionado, isso porque, quando o equipamento não é higienizado, as partículas que são nocivas à saúde ficam retidas no aparelho que, quando ligado, acaba dispersando nos ambientes essas partículas. O que faz com que o efeito da sanitização no ambiente perca totalmente a sua eficácia.

ver todas as postagens

Seu negócio precisa
de um time de especialistas

Conheça nossas soluções