Blog Fique por dentro de tudo o que acontece na Bioseta.

Importância da Qualidade do Ar Interior

A “Qualidade do Ar Interior” refere-se à qualidade do ar em prédios, edifícios e outras construções. Nas últimas décadas, a concentração de alguns poluentes aumentou em decorrência da construção de edifícios com alta eficiência energética, com a mecânica insuficiente para garantir as trocas, a renovação de ar adequadas e a maior aplicação de materiais de construção sintéticos.

O processo é importante para diminuir o impacto de uma série de complicações decorrentes da poluição do ar. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária é o órgão que estabelece os padrões da qualidade do ar em ambientes climatizados de uso público ou coletivo por meio da RESOLUÇÃO-RE nº 9, 2003.

Causas da má qualidade do ar

Grande parte dos poluentes que causam a má qualidade do ar se origina de fatores internos, mas alguns deles podem ser de origem externa. A contaminação do ar por fatores externos pode ocorrer pelas portas e janelas abertas, frestas e rachaduras estruturais, sistema de ventilação que não filtram o ar e sujidades transportadas nos sapatos. Além de se inserir por meio das fundações dos edifícios.

O clima externo, a taxa de renovação do ar, as condições meteorológicas e o comportamento do ocupante nas situações também têm influência na qualidade do ar interno.

Os poluentes mais típicos e que requerem preocupação são:

– Subprodutos da combustão, como monóxido de carbono, partículas e fumaça de tabaco ambiental;

– Substâncias de origem natural, como radônio, pelos de animais e mofo;

– Agentes biológicos, como bolores;

– Pesticidas, chumbo e amianto.

Consequências da má qualidade do ar

Os poluentes podem afetar a saúde das pessoas que vivem na edificação. Os principais efeitos colaterais da poluição do ar interno são:

– Fadiga;

– Sonolência;

– Falta de disposição;

– Dificuldade de concentração;

– Dores de cabeça;

– Náuseas;

– Desconforto ocular;

– Desconforto olfativo;

– Desconforto térmico;

– Doenças respiratórias.

A Síndrome do Edifício Doente (SED) é uma consequência sofrida pelos moradores de uma edificação climatizada. Eles geralmente apresentam sintomas que persistem por mais de duas semanas e que somem logo após deixarem o local.

Como garantir a qualidade do ar interior

Para garantir a qualidade do ar no interior do edifício é necessário realizar uma avaliação biológica e físico-química do ar de ambientes climatizados artificialmente, seja a partir da utilização de ar-condicionado ou de outros sistemas de climatização.

A partir de uma análise minuciosa, é possível identificar concentrações dos agentes poluentes que estão afetando o ambiente. Tornando, assim, plausível inserir medidas de controle que tornem o ambiente mais limpo e saudável com a redução dos riscos de transmissão de doenças respiratórias, de pele, oculares, entre outras.

Por isso, a Bioseta conta com uma equipe técnica preparada para a função. Além de oferecer serviços específicos para qualidade do ar interior, elaboração e emissão do PMOC com ART, higienização de sistemas de climatização (ACJ, splits, centrais e evaporativos), sanitização do ar interior dos ambientes, higienização de dutos de distribuição de ar-condicionado, higienização de coifas em estabelecimentos do ramo alimentício e análise da qualidade do ar interior.

Confie em quem tem mais de 30 anos de experiência. Clique AQUI e fale com um de nossos especialistas para saber como podemos auxiliar na manutenção da qualidade do ar interior dos seus ambientes.

ver todas as postagens

Seu negócio precisa
de um time de especialistas

Conheça nossas soluções