Blog Fique por dentro de tudo o que acontece na Bioseta.

Qualidade do ar interior é coisa séria

A qualidade do ar interior é um tema que está em pauta desde a década de 70 com a crise do petróleo, momento em que foi necessário reduzir o consumo de energia. Desse modo, com a redução das trocas de ar entre os ambientes exterior e interior foi desencadeado um grande problema que é a síndrome do edifício doente, oficialmente reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1983. Isso faz com que, cada vez mais, seja necessário manter uma boa qualidade do ar interior nos locais com grande circulação de pessoas.

Qual a importância de se manter uma boa qualidade do ar interior?

Ambientes que apresentam uma qualidade do ar interior de péssima qualidade, muitas vezes, podem trazer impactos negativos à saúde de quem frequenta os ambientes, além de ser extremamente prejudicial para a funcionalidade, a harmonia, o conforto e a produtividade.

Quando a qualidade do ar interior está em boas condições, é possível ter a prevenção de doenças respiratórias, conforto dos usuários e condições mínimas adequadas. Em ambientes comerciais, por exemplo, uma boa qualidade do ar interior resulta em equipes mais produtivas, menores taxas de absenteísmo e, consequentemente, melhora no retorno financeiro das empresas e dos funcionários.

Para que se tenha um bom índice de qualidade do ar interior, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determina os padrões referenciais de qualidade do ar interior para espaços de uso público e coletivo.

Desde janeiro de 2018, está em vigor a Lei 13.589/18 que dispõe sobre a obrigatoriedade de manutenção de instalações e equipamentos de sistemas de climatização de ambientes. A lei versa sobre a necessidade de todos os edifícios de uso público e coletivo, que possuem ambientes de ar interior climatizado artificialmente, manterem o Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC) em dia, conforme o estabelecido na Resolução 9/2003 da Anvisa. Quando um estabelecimento não apresenta o PMOC atualizado, ele pode vir a receber multas e, até mesmo, a cassação do alvará de serviços.

Como é feita a análise da qualidade do ar interior?

Para que se tenha a análise da qualidade do ar interior, é necessária a realização de uma avaliação no ar de ambientes climatizados artificialmente, seja a partir da utilização de ar-condicionado ou de outros sistemas de ventilação.

A partir de uma análise minuciosa, é possível identificar concentrações dos agentes poluentes que estão afetando o ambiente. Com o resultado da análise da qualidade do ar interior, é plausível inserir medidas que tornem o ambiente mais limpo e saudável com a redução dos riscos de transmissão de doenças respiratórias, de pele, oculares, entre outras.

Para oferecermos mais segurança e qualidade aos nossos clientes, contamos com um amplo portfólio de serviços de qualidade do ar interior como:

  • Confecção e emissão do PMOC com ART;
  • Higienização de climatizadores evaporativos;
  • Higienização de aparelhos de ar-condicionado (split);
  • Sanitização do ar interior dos ambientes;
  • Higienização de dutos e coifas em estabelecimentos do ramo alimentício;
  • Análise da qualidade do ar interior.

Conte com quem tem mais de 30 anos de experiência, clique AQUI  fale com nossos consultores e saiba como podemos auxiliar na manutenção da qualidade do ar interior dos seus ambientes.

Confira também o nosso e-book! Ele vai ajudá-lo (a) a compreender melhor as exigências e como o PMOC vai impactar sua operação: faça o download agora

ver todas as postagens

Seu negócio precisa
de um time de especialistas

Conheça nossas soluções