Blog Fique por dentro de tudo o que acontece na Bioseta.

Ferramenta do SESI para estabelecimentos auxilia no combate ao Coronavírus

A luta contra o Coronavírus é um dever de todos nós, seja dentro de casa, no comércio ou nos ambientes de trabalho. Para que possamos conter o avanço da doença, é muito importante que alguns hábitos sejam adotados e medidas implementadas. Pensando nisso, o SESI-RS, com o intuito de auxiliar no retorno das atividades da indústria, desenvolveu o Relatório de Autodiagnóstico de Boas Práticas de Segurança e Saúde no Trabalho para Controle e Prevenção da Covid-19.

Para que fosse possível elencar as principais e mais importantes recomendações, a equipe técnica do SESI teve como base os documentos legais e as orientações técnicas emitidas pelos órgãos governamentais, a fim de oferecer um relatório com abordagem planejada, estruturada e global da prevenção com o foco na segurança e no bem-estar dos trabalhadores e na oferta de um ambiente de trabalho seguro e saudável.

As recomendações contidas na ferramenta do SESI são divididas por categorias, e nós separamos as principais, para que você, também, possa adequá-las nos seus ambientes.

Práticas de boa higiene e conduta

Implementação de um plano de contingência para a prevenção, para o monitoramento e para o controle da transmissão da COVID-19, que contemple no mínimo adequação estrutural, fluxo, processo de trabalho e monitoramento da saúde dos trabalhadores.

Uso de protocolos para a identificação e para o encaminhamento de trabalhadores com suspeita de contaminação pelo novo Coronavírus antes de ingressarem no ambiente de trabalho.

Notificação dos casos suspeitos de síndrome gripal e confirmados da COVID-19 à Vigilância em Saúde do Município sede da indústria, bem como à Vigilância em Saúde do Município de residência do trabalhador.

Orientação por meio de ações educativas de divulgação a todos os trabalhadores sobre a prevenção de contágio pelo Coronavírus, a forma correta de higienização das mãos e demais medidas de prevenção.

Disponibilização de sabonete líquido, toalha de papel e álcool em gel 70% a todos os funcionários.

Distanciamento seguro entre os funcionários, considerando as orientações do Ministério da Saúde, determinações da Secretaria Estadual da Saúde do RS e as características do ambiente de trabalho.

Adoção de medidas de engenharia, como a utilização de barreiras físicas, para diminuir a intensidade e a duração do contato pessoal entre trabalhadores e entre estes e o público externo.

Suspensão do uso de bebedouros de jato inclinado.

Renovação do ar nos ambientes da indústria, privilegiando a ventilação natural nos locais de trabalho. Já em relação ao uso de ar-condicionado, evitar a recirculação de ar e efetuar a adequação de suas manutenções preventivas e corretivas.

Implementar a política de agendamentos de horários para evitar a aglomeração e para distribuir o fluxo de pessoas.

Reforço da limpeza de pontos de grande contato como corrimões, banheiros, maçanetas, terminais de pagamento, elevadores, mesas, cadeiras.

Práticas quanto às refeições

Substituição dos sistemas de autosserviço de bufê, a fim de minimizar o risco de contaminação, utilizando porções individualizadas ou empregado(s) específico(s) para servir todos os usuários do refeitório.

Higienização das superfícies das mesas após cada utilização.

Maior espaçamento entre as pessoas na fila, orientando para que sejam evitadas conversas.

Práticas referentes ao SESMT e à CIPA

Disponibilização de EPI a todos os trabalhadores, conforme as regras do Ministério da Economia, da Saúde, Normas Regulamentadoras da atividade e normas ABNT.

Proibição da reutilização de uniformes e/ou EPI (capacetes, calçados de segurança, entre outros) quando tais vestimentas/equipamentos não estejam devidamente higienizadas.

Práticas referentes ao transporte de trabalhadores

Respeito ao limite de 50% da capacidade do transporte próprio ou fretado para seus trabalhadores.

Higienização regular dos assentos e demais superfícies frequentemente tocadas pelos trabalhadores.

Oferta de álcool em gel para todos os ocupantes.

Práticas referentes às máscaras

Fornecimento de máscaras aos trabalhadores que necessitam o seu uso, conforme orientações do Ministério da Saúde.

Orientação aos trabalhadores que necessitam usar a máscara de proteção respiratória quanto ao seu uso correto.

Práticas referentes aos trabalhadores de risco:

Identificação e mapeamento dos trabalhadores pertencentes aos grupos de risco.

Caso não seja possível a realização de teletrabalho para os trabalhadores de grupos de risco, é priorizado o trabalho interno, sem contato com clientes, em local reservado, arejado e higienizado ao fim de cada turno de trabalho.

Práticas referentes aos trabalhadores terceirizados, visitantes e prestadores de serviços

Utilização de uniformes e/ou EPI devidamente higienizados.

Uso de álcool em gel e higienização das mãos por no mínimo 20 segundos sempre que necessário.

Distanciamento de, no mínimo, um metro e oitenta e cinco centímetros entre as pessoas, quando não estiverem usando EPI, inclusive nos refeitórios, locais de entrada e saída da empresa, e distância de um metro, quando estiverem usando EPI.

As recomendações do relatório do SESI para a indústria podem ser utilizadas nos mais variados ambientes em que se tenha a circulação de pessoas e a realização de diferentes tipos de serviços. Basta mapear as que mais se adequam ao nicho de trabalho e, assim, adotar as medidas recomendadas.

Se você possui um estabelecimento comercial, utilize a ferramenta do SESI, clique no link e acesse o autodiagnóstico: https://forms.gle/1959BhSpnm47HYNh8

ver todas as postagens

Seu negócio precisa
de um time de especialistas

Conheça nossas soluções