Blog Fique por dentro de tudo o que acontece na Bioseta.

Luz ultravioleta UV-C no combate ao Coronavírus

Com a pandemia do novo Coronavírus, inúmeras pesquisas estão sendo feitas para buscar alternativas que sejam eficazes para o controle da doença. Diante deste contexto, pesquisadores estão fazendo uso de diferentes ferramentas, como é o caso da luz ultravioleta do tipo UV-C.

É importante, desde já, ressaltar que há diversos riscos à saúde, quanto à exposição de seres humanos à luz UV-C, e que a sua eficiência está diretamente vinculada ao tempo de exposição das superfícies à luz, à distância dos objetos e às zonas de sombra, pois onde a luz não chega, não há ação de combate aos micro-organismos.

Mas afinal, por que usar a luz UV-C?

A ideia de usar a luz ultravioleta para a contenção de contaminações não é novidade. Na década de 30, na Filadélfia, nos Estados Unidos, um estudo apontou que, no período de cinco anos, os alunos que frequentavam salas equipadas com lâmpadas de luz ultravioleta UV-C tinham menor probabilidade de serem acometidos por doenças contagiosas como a caxumba e a varíola.

Esta tese se confirmou, quando, em 1941, um surto de varíola espalhou-se nas instituições de ensino do estado e, nas salas em que havia lâmpadas UV-C, apenas 15% dos estudantes foram infectados pela doença. Em contrapartida, nas salas em que não havia o uso de luz UV-C, mais de 50% dos estudantes foram contaminados.

Isso acontece, porque as lâmpadas UV-C emitem uma frequência de luz que destrói o material genético dos vírus (RNA), bactérias (DNA) e fungos, o que faz com que estes micro-organismos sejam eliminados.

Em relação ao uso da luz UV-C para combater o Coronavírus, é importante ressaltar que ao contrário do álcool em gel, da água, do sabão e da água sanitária, os raios ultravioletas não destroem a camada externa do vírus, a qual é feita de gordura. A radiação ultravioleta atua nos ácidos nucleicos do vírus, ou seja, no DNA e no RNA, o que provoca mutações.

No momento em que um organismo fica sob uma alta dose dessa radiação UV-C, ele sofre inúmeras mutações que o levam à morte, e é justamente isso que acontece com o vírus da Covid-19. Vale ressaltar que apenas a luz ultravioleta do tipo UV-C é capaz de inativar micro-organismos presentes no ar, nas superfícies e nos ambientes, pelo fato de apresentar um comprimento de onda de 100 a 280 nanômetros.

Muitos hospitais estão adaptando ferramentas que possam ser utilizadas com a luz UV-C, a fim de aumentar as medidas de combate e controle do Coronavírus. Em locais como estes, é possível verificar que a luz é uma excelente aliada.

E aí, você já sabia do uso de luz ultravioleta UV-C como ferramenta de combate ao Coronavírus e demais micro-organismos?

Clique aqui e aproveite para conhecer a nossa série de conteúdos sobre o que é REAL e o que é FAKE, quando se fala da Covid-19.

ver todas as postagens

Seu negócio precisa
de um time de especialistas

Conheça nossas soluções